segunda-feira, 27 de abril de 2009

Agradecendo aos amigos

É interessante como algumas pessoas entram nas nossas vidas para nos levar para frente, nos fazer seguir focados no que podemos construir hoje, olhando para o presente e para o futuro. É a elas que quero agradecer de coração. Aos meus verdadeiros amigos, àqueles que olham para o meu sucesso e dizem: que bom, ela está conseguindo! Quero que saibam que de alguma forma vocês estão seguindo comigo para onde quer que eu vá.

É importante dizer o quanto estou feliz, não só por realizar um sonho da adolescência (quem me conhece há mais tempo sabe bem disso), mas, por não ter me entregue a depressão, à tristeza, à auto-piedade (quem me conhece, também, sabe que até tinha motivos para isso). Graças a Deus, aos meus amigos de ontem e aos de hoje, segui em frente e continuo caminhando firme e forte.

Aos que de alguma forma me invejam, criam verdadeiras teses sobre as minhas conquistas, só posso dizer uma coisa: saiam dessa! Procurem mudar enquanto estão por aqui. A vida é exatamente do jeito que olhamos pra ela. Quando você acredita na bondade, ela se aproxima de você. Se acredita que vai fazer sucesso, você vai fazer sucesso. Se pensa de forma negativa, com certeza terá uma vida cheia de negatividade.

É por isso que, hoje, tenho ainda mais fé em Deus, trabalho, procuro fazer sempre o melhor que posso por quem se aproxima de mim e vivo construindo novas e fortes amizades. Claro que isso não é fácil, óbvio que existem dificuldades, mas, vou passando por cada uma delas e seguindo em frente.

Sei que nos dias atuais pode ser mais complicado fazer amigos fortes e verdadeiros. Muitas vezes o lobo se veste de cordeiro e se aproxima delicadamente. Mas, observo bem, fico atenta e, com o tempo, Deus mostra quem realmente está perto de mim para construir, para fazer o bem.

O mal não consegue se esconder por uma vida inteira. Em algum momento ele se trai e, ai, você consegue identificá-lo. Por favor, se você acabou de encontrar uma dessas criaturas que pareciam querer o seu bem, mas, na verdade, na verdade, estão por ai falando mal de você, lhe criticando, colocando “cabelo em casca de ovo”, contando aqueles segredos que lhe confiou até pra quem não lhe conhece, não faça o mesmo que ela. Simplesmente entregue essa alma a Deus, deixe-á ai (parada) onde ela está (dificilmente essas criaturas conseguem sair do lugar, e esta é apenas uma das formas de identificá-las), reze por ela e siga em frente. O mais importante: não deixe de acreditar no ser humano, jamais, isso seria o fim.

Nos últimos anos aprendi uma lição bem legal, que pode servir para muita gente: nada de reclamar pelo que a vida não me deu. Procuro pedir a Deus que me deixe chegar, simplesmente, o que mereço. Mas não cruzo os braços não. Ele me protege e me ajuda, mas, é preciso que eu faça a minha parte. Por isso, trabalho, planejo meus sonhos e sigo em frente agradecendo muito, muito mesmo, por tudo que vivi e vivo até hoje.

É assim que vou para a Austrália, com meu marido: renovada, energizada, cheia de projetos, sonhos, rezando muito e contando com a oração e a energia positiva dos meus queridos amigos. Obrigada, Papai do Céu!

domingo, 26 de abril de 2009

Malas e brechó

Estou entre as malas e um brechó. É, decidi dividir com as amigas algumas das coisas que terei que deixar por aqui e que, certamente, não vou precisar quando estiver de volta. A lista vai de roupas, passando por bijus e bolsas e inclui coisas de casa. Aconselho quem vai sair por mais de seis meses a fazer o mesmo. É uma oportunidade de praticar sustentabilidade e ainda ganhar uma “graninha”. Nesses dias que as despesas afloram, nada mal.

Vou receber as “meninas” em casa mesmo, com um lanche de final de tarde regado a pão gelado, salgados, refri, sucos e outras “cositas mas”. Na lista de convidados amigas de ontem e de hoje. Das amigas da infância e adolescência, passando pelas companheiras da TV Cabo Branco, Jornal Correio, Jornal O Norte, Prefeitura de João Pessoa, até as atuais da Unimed. Um momento de confraternização, para dividir sonhos, histórias de viagens, alegrias e de muita fofoca feminina.

Sigo, também, fazendo as malas. Consegui fechar mais uma. Agora, as de roupas de verão. A meta neste momento é colocar as roupas de verão de Guga em outra mala, junto com as minhas “pecinhas” de artesanato. O problema é caber tudo num lugar só. Vou à luta! Beijos.

Com o visto na mão

Depois de mais de 40 dias de espera, o visto finalmente chegou. A notícia Guga me deu por telefone. Recebi com um misto de alegria, alívio, medo e saudade. É, já começo a sentir saudade das pessoas e dos lugares que vamos deixar por aqui. Mas, viajo com a alegria e a expectativa de aprender uma nova língua, conhecer outras culturas, fazer mais amigos, visitar lugares novos e ter muito o que contar.

Depois da ligação de Guga fui dividir a informação com os colegas da sala. Estava na Unimed JP quando ele me ligou, por volta das 18h, desta quinta-feira, 16 de maio. Entre abraços, palavras de saudade e lágrimas, comemoramos a notícia. Como bem disse Andréia Solha “...os sentimentos se misturam. Alegria por ter conseguido e uma dorzinha de saudade”.

O Governo australiano é bem claro. Além do visto, do carimbo em si, eles enviam uma carta com orientações para o estudante e dicas de onde conseguir mais informações para viver tranqüilo na Austrália. Vamos poder ficar por lá até janeiro de 2010. Se quisermos fazer outro curso será necessário pedir uma ampliação do visto, na verdade, outro visto.

Bom, agora é seguir em frente e estudar muito. Quero aproveitar ao máximo a Shafston, encontrar os cangurus, os coalas, as belas praias da Gold Cost, conhecer a hospitalidade do povo australiano, sua cultura e as belezas dessa terra cada dia mais comentada.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Preparando as malas

Desde meados de 2008 eu (Roberta) e meu marido (Guga) começamos a pensar em recuperar um velho sonho: sair do país para estudar. Iniciamos uma longa pesquisa de preços, lugares, modo de vida, clima, temperatura,... Agora, em abril de 2009, entramos na etapa de aguardar o visto e começar a preparar as malas.

Depois de muita pesquisa, o local escolhido foi Brisbane, capital de Queensland, na Austrália. Isso mesmo: do outro lado da nossa João Pessoa, capital da Paraíba, no Brasil. Nosso projeto é aperfeiçoar o inglês e, quem sabe, fazer um curso de especialização ou mestrado quando ele estiver afiado.

A princípio pode até parecer uma história boba de um casal que decidiu sair do seu ambiente e ir para outro, completamente diferente, estudar seja lá o que for. Mas, no nosso caso, isso está sendo feito quando ele já passou dos 30 e eu dos 40. Claro, não é o fim do mundo. Não, não é mesmo! Bom, mas não é comum nem fácil decidir deixar família e tudo que foi construído até agora e partir.

Arrumar as malas não é fácil. É um momento cheio de simbolismos. Estamos começando a guardar o que não será utilizado nos próximos meses e separando o que será necessário levar conosco nessa aventura. Estamos, também, fechando um ciclo das nossas vidas totalmente voltado para o trabalho.

Só começamos a fazer as malas e o coração já está apertado de saudade dos amigos e da família (principalmente das nossas mães), que vão ficar aqui, com certeza, torcendo pelo nosso sucesso.

Aí, decidi criar um blog para dividir com quem gosta da gente e para quem curte conhecer pessoas e lugares pela internet. Vou tentar trazer para cá um pouco dos lugares que visitarmos e registrar as alegrias e angustias de viver na Austrália nesse momento das nossas vidas. Então, prepare as suas malas na sua imaginação e venha viajar conosco.